O que fazer em Florença Roteiro e Dicas

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Está indo para Florença e não sabe o que fazer por lá? Saiba quais são os principais passeios, pontos turísticos e lugares para conhecer em Florença.

Ao traçar o roteiro da nossa viagem, sabíamos que precisaríamos de, pelo menos, 03 dias na cidade, pois, além de ser o Berço do Renascimento, tem vários cenários bonitos. Se você pretende conhecer um pouco mais da Capital da Região da Toscana, vem com a gente!

1) Florença, Firenze, e a importância da Família Médici para a região.

Qual nome é correto? Florença ou Firenze?

A resposta para essa pergunta é: tanto faz. Em italiano a cidade é conhecida como Firenze, já para nós portugueses como Florença.

A Família Médici e o que ela tem a ver com sua viagem.

Dentre as famílias que circulam como as de mais influentes na Itália, sem sombra de dúvidas a Família Médici está entre elas. Considerados como os “senhores” da Toscana, a sua influência na cidade é incontestável. Focaremos essa narrativa em uma personagem em especial: Anna Maria Luisa de Médici.

Essa mulher foi a última na linha de sucessão da família antes de transferir o poder à dinastia austríaca Arburgo-Lorena, quando assinou o “Pacto de Família”, documento com validade legal que condenava, a grosso modo, que toda relíquia artística e histórica permanecesse ligada ao povo florentino/fiorentino.

Em um caso hipotético, no qual esse documento não existisse, seria bem provável que toda riqueza ali acumulada teria sido consumida e comercializada. Portanto, meu caro leitor, se hoje podemos visitar Florença e nos impressionar com tanta beleza e riqueza, é graças a existência e a atitude dessa mulher, Anna Maria Luisa de Médici, que garantiu, desde os anos de 1737, a catalogação de bens e assinatura do “Patto di Famiglia”.

2) O que fazer em Florença: Quando ir e Quanto tempo ficar

Itália + Mês de Maio = Amor Eterno

Para nós brasileiros, sem sombra de dúvidas, o mês de maio – período em que estivemos por lá- foi uma época muito boa, pois o clima estava incrível para o nosso gosto: nem frio, nem calor.

Além de maio, outros meses considerados como os mais indicados para visitar a Capital da Toscana são os seguintes:

  • Junho: clima bem parecido com o de Maio
  • Julho: muitos festivais de música, mas sem a lotação excessiva do mês de Agosto.
  • Setembro a Novembro: período pós colheita de uvas e azeitonas, dando início a época das trufas.

Florença: quanto tempo ficar?

Como dito anteriormente, nossa passagem por Florença durou apenas 3 dias. Esse período foi o suficiente para conhecer a cidade, porém conseguiríamos passar tranquilamente mais 2 ou 3 semanas.

Dizemos isso pois existem uma infinidade de coisas para se ver e para fazer na cidade. Porém, como nossa viagem durou apenas 14 dias, os 3 dias que separamos para Florença foi mais que o suficiente.

“E se eu só conseguir ficar 1 dia em Florença? E se eu não conseguir viajar nos meses indicados?”

Calma, calma, calma. Se a oportunidade bateu à sua porta e o seu roteiro só permite ficar um dia na cidade, aproveite! Vale muito a pena!

Além disso, não importa se você vai conseguir encaixar nas nossas experiências aqui relatadas, pois a vivência será totalmente diferente. Não se preocupe, faça as malas e vá aproveitar o que a cidade tem para oferecer.

3) O que fazer em Florença: Como chegar

De carro

Quando realizamos essa viagem, escolhemos por essa opção. Havíamos alugado um carro em Veneza, e o nosso trajeto foi de Módena até Florença. Essa distância entre as duas cidades foi de 138 km e aproximadamente 2h de viagem.

Existem, na cidade, algumas regras básicas de direção, que de modo geral foi bem tranquilo. Quando chegamos ao nosso hotel, fizemos uma pré reserva do estacionamento privativo, pagando EUR 26 por dia. Esse valor, além da segurança de estacionar em um local permitido, nos dava a tranquilidade e comodidade de, no dia do check-out, receber o carro na porta do hotel – localizado na Zona de Tráfego Limitado, já que era conduzido por um residente local.

O que vale ressaltar é que, seja qual for a cidade de origem, ir de carro é bem tranquilo! As únicas precauções que recomendamos que você tenha é de olhar previamente qual o melhor estacionamento próximo ao hotel e se pode trafegar livremente pelo espaço, pois, durante sua estadia, não será necessário usar o carro.

De trem

Caso você tenha optado na sua trip de viajar de trem, sem problemas. Esse modal é de fácil utilização e será bem tranquilo chegar em Florença.

A empresa que interliga a maioria das cidades italianas é a Trenitalia. A Stazione di Santa Maria Novella é a estação central de trem de Florença, e de lá partem os trens rumo a destinos nacionais e internacionais.

Em termos de valores, caso você compre antecipadamente a sua passagem, poderá encontrar, com antecedência, valores de EUR 20 no trajeto entre Veneza e Florença – 2 horas de duração.

Vale ressaltar que durante sua pesquisa no site da Trenitalia, digite os termos na língua nativa, pois, se digitado em português, por exemplo, não encontrará nenhum resultado.

 

De ônibus

Outra opção bastante utilizada é ir de ônibus. As duas principais empresas que são bem tradicionais na região são a Flixbus e a RegioJet.

Em uma pesquisa simulada, encontramos o valor mais barato de passagem por EUR 15.90, com aproximadamente 3h30 de duração.

O que gostaria de deixar claro aqui é o seguinte: por cerca de EUR 5 a mais, você terá a possibilidade de economizar 1h30 na sua viagem. Será que vale a pena?  Pense bem nas possibilidades de turismo que se pode fazer nesse período de tempo.

De avião

As passagens de avião do Brasil para Florença, de modo geral, não são as mais baratas e dificilmente alguém irá viajar exclusivamente para esse destino. Assim, o mais comum é chegar do Brasil à Itália, por Roma ou Veneza, realizando o transporte interno no país por um dos modais ditos anteriormente.

Dentre as opções – carro, trem, ônibus e avião – qual a melhor forma de chegar a Florença?

Quando avaliamos os critérios de tempo de viagem e custo, ficamos com duas opções: carro ou trem.

Essas duas escolhas demandam praticamente o mesmo tempo de viagem e, caso você viaje com 2 ou mais pessoas, é bem bacana a aventura.

Em relação custo x benefício, definitivamente o ônibus e o avião estão fora desse quadro.

O que fazer em Florença: Como se locomover.

As principais atrações da cidade encontram-se na região central, mais especificamente entre as Praças Piazza del Duomo e Piazza della Signoria.

Além das atrações serem bem localizadas e próximas umas das outras, a cidade em si é pequena e que pode ser conhecida facilmente a pé, fazendo uma bela e tranquila caminhada.

5) O que fazer em Florença: Onde se hospedar

Onde se hospedar em Florença: os fatores que influenciaram nossa escolha

Florença é, assim como tantas na Itália, uma cidade que concentra a maioria das suas atrações em um lugar só. Logo, optamos por um hotel que ficasse localizado exatamente nessa região, principalmente pelo fato de ser perto.

Assim, com uma localização privilegiada, escolhemos o Mabelle Firenze Residenza Sassetti.

Como reservar hotel em Florença?

Em toda viagem que nós fazemos, utilizamos o Booking – site especializado na reserva de hotéis – de acordo com os nossos critérios de avaliação:

  1. Os mais bem avaliados por outros turistas;
  2. Os que oferecem outros benefícios, como café da manhã e rede Wi-Fi;
  3. Quando possível, estacionamento;
  4. Além é claro de uma boa localização.

Assim, de acordo com os nossos critérios do que é um bom hotel em Florença, selecionamos seis opções de hotéis que hospedaríamos. As regiões escolhidas foram as de fácil acesso ao Centro Histórico e também à Estação de Trem – Pensando, principalmente, nos turistas que irão utilizar Florença como a cidade-base para alcançar as demais cidades da Toscana.

5.1) CENTRO HISTÓRICO – Mabelle Firenze Residenza Sasseti

Com diárias a partir de EUR 130 e localizado a 300m da Catedral Duomo – Santa Maria del Fiori, possui Wi-Fi grátis e facilidades de estacionamento como mencionadas anteriormente. Além disso, é inclusa no preço da diária, uma garrafa de vinho de boas-vindas e duas garrafas de água por diária.

Além disso, a localização do hotel era incrível. O hotel Mabelle Residenza Sassetti é uma hospedagem que indicamos tranquilamente; as áreas comuns são lindas e a estrutura do quarto é algo impecável. Além disso, o cuidado com o hóspede foi algo que realmente nos cativou e foi um dos principais fatores que incentivaram essa nossa indicação.

Atenção: Cartões American Express

Este hotel recomendado é um dos hoteis que não aceitam a bandeira da American Express, restando apenas as opções Visa ou Mastercard. Além disso, após a efetivação da reserva, é importante ficar de olho em seu e-mail cadastrado, uma vez que todas as comunicações serão realizadas nestes canais.

5.2) CENTRO HISTÓRICO – B&B La Terrezza Sul Duomo

Com diárias a partir de 80 euros e localizada no máximo a 300 metros das principais atrações da cidade, é muito elogiada pelos turistas no que diz respeito ao terraço disponibilizado aos hospedes, com uma vista incrível. Possui, além disso, Wi-Fi incluso e estacionamento privado por apenas 25 euros/dia.

5.3) CENTRO HISTÓRICO – Martelli 6 Suite and apartments

Com diárias a partir de 96 euros e localizada no máximo a 300 metros das principais atrações de Florença, é muito elogiada por sua localização e acomodação. Possui Wi-Fi e incluso e não tem estacionamento privado.

5.4) CENTRO HISTÓRICO – B&B I Quattro Poeti

Com diárias a partir de EUR 56 e localizado a menos de 500 metros das principais atrações, possui um excelente custo benefício, pois oferece além do Wi-Fi gratuito, estacionamento privado por EUR 26/dia. O café da manhã é opcional e custa EUR 7,5 por dia por pessoa.

5.5) PRÓXIMO À ESTAÇÃO DE TREM – Residenza di Michelangelo

Com diárias a partir de EUR 94, está localizada no Bairro San Lorenzo, a 3 minutos a pé da Estação de Trem Santa Maria Novella. Além do café da manhã incluso e Wi-Fi gratuito, possui estacionamento privado por EUR 26 ao dia.

5.6) PRÓXIMO À ESTAÇÃO DE TREM – B&B Arco Antico

Com diárias a partir de EUR 95, está localizada a 2 minutos a pé da Estação de Trem Santa Maria Novella. Possui café da manhã incluso, Wi-Fi gratuito e estacionamento privado por EUR 21 ao dia.

6) O que fazer em Florença: Onde comer – Restaurantes e Sorveterias/Gelaterias

Comer definitivamente é uma das maravilhas do mundo. E, se tratando das cidades da Itália, pode-se esperar um excelente destino gastronômico.

Os pratos são os mais variados, não há palavras para descrever a famosa “bisteca alla fiorentina”, além das deliciosas massas e as sensacionais “gelateries”.

Para facilitar para você leitor, colocaremos abaixo algumas sugestões de lugares que merecem um destaque especial.

O Mercado Central de Florença – Mercado Centrale Firenze

Em três dias de visitas intensas em Florença, esse foi o local escolhido por nós para passar um bom pedaço da tarde/noite.

Um dos cantinhos mais apaixonantes de Florença

Se no Brasil temos o Mercadão de São Paulo, em Florença temos um parecido, porém mais, com mais mesas e opções para todos os gostos e bolsos.

É uma atração IMPERDÍVEL, não apenas pela amplitude do salão, mas também de toda a energia que circula no lugar e das pessoas que ali estão. O que achamos bacana é a variedade de comidas e bebidas que existem, com preços justos!

O que nós comemos

Em nossa estadia e breve passagem, experimentamos as deliciosas pizzas, os excelentes vinhos e massas, inclusive trufadas – que por sinal, estavam uma delícia.

Aos vegetarianos e veganos, existe dentro do mercado um quiosque dedicado exclusivamente a esse grupo, com muitas opções de comidas deliciosas!

Aos amantes de uma boa pizza, lá encontra-se uma das melhores pizzarias da cidade – A Sud La Pizzeria – com preços super justos e saborosos. Lá, por exemplo, pagamos menos de 30 euros por um Vinho Chianti Classico, “Gran Selecione” 2012 que, nem no Brasil encontramos para saborear.

O Mercado Central de Florença definitivamente é um lugar que consideramos como visita obrigatória e vale a pena você conhecer com calma.

Trattoria Zá Zá Firenze

A poucos metros do Mercado Central de Florença, você encontrará a Trattoria Zá Zá. Se mesmo com essa informação você não encontrar, vá por mim: deixe-se guiar pelo delicioso cheiro das trufas.

Para quem gosta ou está aprendendo a gostar de trufas, essa é uma indicação super válida e que vale muito a pena. Durante nossa passagem, escolhemos um Gnocchi com Trufa e Gorgonzola e pagamos EUR 16.

All´antico Vinaio : O “Subway” dos Fiorentinos

Localizada na Via Dei Neri, rua cuja localização é cercada de bons restaurantes, encontramos um estabelecimento no estilo do “Subway” do Brasil. Porém, com ingredientes selecionados e muito saborosos, como o presunto Parma e o queijo Pecorino.

Como é considerado um restaurante de comida de rua, é muito frequente, após o horário de trabalho – por volta das 18h – encontrar filas de até 40 pessoas para comer nesse local.

Com apenas EUR 5 é possível você montar uma porção no pão estilo Focaccia e ficar muito bem alimentado.

La Fettunta – Outro restaurante de rua no estilo “Subway”

Na mesma rua descrita anteriormente, é possível experimentar um delicioso sanduíche personalizável. Um pouco menos frequentado e com o mesmo preço a qualidade do prato é realmente sensacional.

Tavernetta della Signoria – A famosa “Bisteca alla Fiorentina”

O restaurante fica próximo ao Palazzo Vecchio e à Galeria Uffizi e tem um excelente custo x benefício. Para os amantes do programa MasterChef, existe um prato com um tipo de macarrão tipicamente encontrado na Toscana, o “Pici”; que é uma versão mais rústica do Spaghetti, mais grosso, e preparado um a um.

Os sorvetes de Florença – a “dificil” missão de experimentar os “gelatos” florentinos

A dica é uma só: experimente o máximo que conseguir.

Obviamente terá um ou outro sabor que irá gostar mais. Mas acompanha comigo o raciocínio: você está em Florença, cheio de opções deliciosas de “gelatos”, porquê se limitar?

Onde experimentamos os sorvetes em Florença

É sério, visitamos várias Gelaterias, mas a que realmente cativou os nossos paladares pela cremosidade e sabor foi o da Gelateria Dei Neri.

Além dessa nossa recomendação, visitamos o Venchi; a Santa Trinita; La Carraia e GROM.

7) O que fazer em Florença: Principais atrações e dicas de como aproveitar melhor o seu tempo e o seu dinheiro

Focaremos aqui nessa postagem, as principais atividades que podem ser feitas. A lista de coisas a fazer e conhecer em Florença é grande demais.

Vale lembrar que nada dito aqui é obrigatório, o conteúdo dessa postagem é apenas o relato do que fizemos na nossa viagem. Siga o seu coração de viajante e seja feliz nessa cidade!

O Firenze Card – 72 museus, para visitar em 72 horas, por 72 euros.

Gostaríamos de dizer aqui sobre o Firenze Card, uma excelente opção para quem deseja visitar os principais museus da cidade.

Com esse cartão, você conseguirá visitar os seguintes museus:

  1. Museu e Torre do Palazzo Vecchio;
  2. O Palazzo Médici;
  3. A Igreja Santa Maria Novella;
  4. Galleria Uffizi;
  5. Galleria dell´Accademia;
  6. Jardins de Boboli + Palazzo Pitti;
  7. Duomo e o Museu da Ópera de Santa Maria Del Fiore;
  8. A Casa de Dante Alighiere;
  9. E muitos outros.

Só dessa lista, se fosse pagar o valor individual de cada atração, passaria tranquilamente o valor de 72 euros. Portanto, caso você tenha o interesse em conhecer, vale a pena, principalmente por não precisar enfrentar as longas filas.

Vale ressaltar que caso a sua compra seja realizada online, será necessário imprimir o voucher e retirar o cartão em um dos pontos denominados como “Collection Points” ou “Punti di Ritiro”

Piazza Del Duomo / Cattedrale di Santa Maria Del Fiore

Essa é uma das grandes atrações incluídas no FIRENZE CARD. Além de ser um marco da cidade, começou a ser construída em 1296. Da cúpula – de onde só tem acesso mediante pagamento e agendamento prévio – é possível ter acesso a um panorama inesquecível de 360º da cidade de Florença.

A fachada toda em mármore é algo que impressiona qualquer um. Simplesmente maravilhoso!

Piazza della Signoria

Esse local é o centro da vida fiorentina há séculos. Nessa praça, no ano de 1497, foram queimadas diversas obras de arte por um líder religioso – Savonarola – em repressão ao paganismo. Um dos artistas que tiveram suas obras queimadas, por exemplo, foi o Botticelli. Além disso, há muitas obras renascentistas espalhadas pela Praça, dentre elas, uma réplica de David, de Michelangelo.

Palazzo Vecchio

Essa é outra das atrações incluídas no Firenze Card. Além disso, é a sede da Prefeitura e da Câmara Municipal Fiorentina.Uma das atividades imperdíveis é a subida que, através de uma escada de pedra, se tem acesso à Torre d´Arnolfo, com 94 metros de altura. Inclusive, é cenário do filme “Inferno”, de Dan Brown.

Geralmente, esse ponto turístico não costuma ter muitas filas, podendo a aquisição dos ingressos ser feito ali no local, pela quantia de 18 euros.

Galleria degli Uffizi

Localizada dentro do Palazzo defli Uffizi, é uma das atrações incluídas no Firenze Card. Neste local que se encontra a espetacular “Sala del Botticelli”, onde podem ser encontradas 15 obras do mestre renascentista. Dentre elas, destaca-se: O Nascimento de Vênus; A primavera; Anunciação; Adoração dos Magos e Nossa Senhora do Magnificat.

Além de Botticelli, é possível encontrar obras de Michelangelo, como o famoso retrato da Sagrada Família e obras do pintor Caravaggio.

O valor do ingresso adquirido na hora é de EUR 12.50. Além disso, por 6 euros é possível o auxílio do Audioguia, disponível em 8 línguas, entre elas o inglês e espanhol.

Galleria dell´Accademia

Essa é uma das atrações incluídas no Firenze Card. Foi fundada em 1784 e é um museu dos mais importantes de Florença, pois está contida a peça original David, de Michelangelo.

Piazzale Michelangelo

Com o por do sol mais bonito da cidade, apresenta a vista mais ampla e mais bonita de Florença.

Ponte Vecchio

Aos apaixonados presentes, este é um local que não deve passar despercebido. Reza a lenda que, ao cruzar a Ponte Vecchio, o casal deve se presentear com um item de ouro para garantir a boa sorte do relacionamento.

Casa de Dante Alighieri / Museo Casa di Dante

O Museu foi fundado no ano de 1965, por ocasião do aniversário de 700 anos do nascimento do maior poeta italiano, Dante Alighieri. Em sua obra, a Divina Comédia, a ideia coletiva de céu e inferno foi abraçada fortemente pela poesia amorosa, a teologia e o simbolismo.

O valor do ingresso individual é de 4 euros, porém está presente nas atrações inclusas no Firenze Card.

The Mall – The Luxury Outlet

O complexo concentra marcas como: Padra, Gucci, Balenciaga, Bottega Veneta, Burberry, Valentino e tantas outras.

Ficamos impressionados, de início, com a quantidade de japoneses e chineses que dominavam o ambiente, principalmente nas filas para entrar na Prada e na Gucci.

Como chegar ao Outlet, partindo de Florença?

O complexo de lojas funciona todos os dias da semana, de 10h às 20h. Caso você não esteja de carro, existem algumas possibilidades partindo de Florença.

De ônibus direto, você parte da estação BUSITALIA/SITA – Via Santa Caterina da Siena 17, Florença (perto da principal estação ferroviária). Preço: passagem só de ida 7 euros; ida e volta 13.

Os preços? Valem a pena?

Por se tratar de produtos de marcas de luxo, é normal encontrar itens com muito valor e outros com valor mais alto ainda, principalmente quando comparados aos Outlets dos Estados Unidos.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *